Blog da benfeitoria - uma plataforma de crowdfunding diferente

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Projetos de sucesso!

Depois de viabilizar milhares de projetos lá fora, as primeiras plataformas de crowdfunding no mundo já podem nos ensinar muito. Selecionamos 3 aprendizados de projetos bem sucedidos do kickstarter (links em inglês) para vocês se inspirarem:

1) Pequenas paixões têm GRANDE VALOR.
Realmente a cauda é longuíssima! O conceito apresentado por Chris Anderson no livro “A cauda longa”, fala da oportunidade de atingir nichos de interesse que por muito tempo ficaram adormecidos. Adoradores de insetos da Amazônia? Colecionadores de mapas-múndi? Amantes de quadrinhos dos anos 70? Eles estão por aí e não são poucos. Veja o exemplo do projeto de um fã de kits para abrir cadeados: lockpicks. Ele pediu U$6.000 para montar seu próprio kit e acabou “destravando” milhares de outros apaixonados. Arrecadou mais de U$ 87mil! Se seu projeto é de um interesse bem específico, ótimo – deve ter gente esperando por você!




2) Uma boa ideia vale mais do que uma boa produção.
Com apenas um vídeo caseiro apresentando sua ideia, os meninos do Diaspora demonstraram o poder de mobilização de uma boa ideia. O projeto foi sobre o desenvolvimento uma rede social na qual informações não são centralizadas por um controlador (como o facebook) - são enviadas peer to peer, como em uma conversa real entre amigos, garantindo a privacidade das informações. A relevância do tema e a inovação da proposta chamaram atenção de vários veículos de comunicação, que potencializaram muito a divulgação do projeto. Resultado: precisavam de U$10.000 e arrecadaram mais de U$ 200.000 de 6 mil pessoas! O que você está esperando? Saque sua câmera, tire sua idéia da gaveta e divulgue para todos que possam ter interesse no tema!





3- Quando é junto, é mais gostoso - e menos arriscado!
O projeto Tiktok Lunatik atingiu recorde de arrecadação no kickstarter e mostrou o potencial das plataformas de crowdfunding para realização de pré-venda de produtos/serviços. Neste caso, um designer desenvolveu uma pulseira que transforma o ipod nano em um relógio e, para viabilizar o primeiro lote de produção, ofereceu o produto como recompensa para colaborações a partir de U$25. O projeto precisava de U$15.000 e arrecadou U$ 950.000, envolvendo mais de 13.500 colaboradores que queriam tirar o projeto do papel - e colocar no pulso. Se você tem um produto inovador, não precisa correr o risco de investir sem testar sua receptividade. Apresente sua inovação na benfeitoria e ofereça o próprio produto como recompensa de uma colaboração. Dessa forma, mais do que testar sua ideia, você envolve seus consumidores de maneira diferenciada!





Vale lembrar que essa não é uma maneira de disfarçar venda através de doações. Para recompensas desse tipo é necessário que uma nota fiscal de venda seja enviada para os colaboradores e que os devidos impostos sejam pagos pelo dono do projeto.

Gostou? Tem algum comentário ou dúvida? Em breve mais dicas para vocês!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Faltam 30 dias!!

Esse é um breve post para agradecer todas as mensagens e esforços de divulgação!

Essa semana foi bem intensa e riquíssima de trocas!! Para priorizar o desenvolvimento do site e os diálogos com os benfeitores que querem submeter projetos, acabamos não postando nada aqui no blog, mas semana que vem estamos de volta com novidades! =)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

2011 é ano de tirar projetos da gaveta!

Ontem já descobrimos outras 2 plataformas de financiamento coletivo brasileiras, além das que já conhecíamos - muito legais, por sinal!

Definitivamente 2011 é o ano da revolução de crowdfunding no Brasil. Muito orgulho de poder fazer parte disso e ainda agregar alguns diferenciais, como a possibilidade de contribuições não financeiras (ex: prestação serviço, envio de materiais, voluntariado, etc)! =)

Abaixo, listo as plataformas* que conhecemos. Se alguém souber de mais alguma, por favor avise!


Apenas as duas primeiras já estão funcionando, mas as demais já anunciaram suas propostas. Com exceção da Senso Incomum, voltada para projetos sociais, as outras 5 plataformas citadas acima têm foco em projetos criativos, como o kickstarter - a plataforma de financiamento coletivo mais bem sucedida do mundo.

Pelo que entendemos, todas** também têm a mesma dinâmica de funcionamento usada pelo kickstater: "tudo ou nada"; "pedidos e recompensas"; 5% de comissão de projetos bem sucedido; curadoria de projetos...

Entre outras diferenças, nós optamos por uma proposta mais democrática: além de aceitar qualquer projeto que provoque impacto positivo - seja ele cultural, social, pessoal ou profissional -, não filtramos projetos a serem publicados (curadoria). Aqui quem decide se o projeto é relevante suficiente para ser viabilizado coletivamente é o público! :)

Há prós e contras dessa escolha... Dá uma boa discussão! Vamos postar em breve uma análise completa sobre isso e sobre as demais diferenças entre cada plataforma para ninguém ficar perdido. Não deixem de postar a sua opinião!!



*Neste post nos referimos ao modelo de plataforma proposto pelo kickstarter, como as regras de "tudo ou nada" (na qual os colaboradores recebem o dinheiro de volta caso o projeto não arrecade o valor solicitado) e de "pedidos e recompensas" (no qual para cada pedido, deve-se oferecer algo em troca, ainda que simbólico). A primeira plataforma de financiamento coletivo do Brasil foi o Vakinha, lançado em 2008, com uma proposta mais simples. Há ainda iniciativas de crowdfunding de projetos específicos, como a campanha do documentário Eu Maior e o site Queremos, que traz bandas para o Brasil. Sensacionais!


**Aqui a Senso Incomum também é exceção, pois cobra 8% de comissão, mas assume uma etapa adicional do processo de viabilização (compra de materiais solicitados na campanha).

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Início da contagem regressiva!

Nas últimas semanas, muito tem se falado das plataformas de financiamento coletivo, que revolucionaram a forma de arrecadar fundos para projetos lá fora e acabam de chegar ao Brasil (O Globo, Exame, Folha).

A benfeitoria propõe uma evolução nesse modelo. Somos mais do que uma plataforma - representamos um movimento. Somos mais que financiamento coletivo - permitimos colaborações não financeiras.

Nosso site só vai ao ar dia 20 de março (dia do contador de histórias!), mas fizemos esse blog para convidar a todos a enviarem seus projetos e participarem da inauguração da plataforma!

Podem ser iniciativas pessoais, sociais ou profissionais, de qualquer tema ou tamanho. Não importa se você quer lançar um livro, dar a volta ao mundo, criar um movimento ou lançar um produto novo. O intuito é gerar impacto positivo através da realização de projetos que não sairiam do papel por falta de recurso ou incerteza sobre sua receptividade. Aqui, idealizadores e público agem juntos para remover essas barreiras!

Por isso, abra sua gaveta de projetos, tire o pó dos papeis, envelope suas ideias e venha junto conosco fazer parte dessa história! Não deixe de contribuir com críticas, sugestões e ideias pelos posts e páginas do blog! Se tiver alguma dúvida ou queira só trocar uma ideia, é só falar com a gente!